Agenda verde dispara em 20% setor de latas de alumínio

Agenda verde

Agenda verde pode significar uma ascensão ainda maior ao alumínio

Hoje, a queda do plástico se deve à agenda verde. Em suma, ela pode significar também uma ascensão ainda maior ao alumínio. Prova disso é que no primeiro semestre deste ano, o setor de fabricantes produtores registrou aumento de 22,6% em relação ao primeiro semestre de 2020. Ao comparar o feito ao mesmo período de 2019, o aumento foi de 18,3%.

Prova disso também é que as startups verdes na cidade de São Paulo também crescendo.

Agenda verde cresce

Apesar da pandemia, houve crescimento da agenda verde. Por conta disso, houve aumento em 22,6% o setor de latas de alumínio. Sendo assim, a expectativa da Abralatas é que setor encerre o ano com elevação de um dígito alto em relação a 2020.

Contudo, nos últimos cinco anos, apesar da pandemia e crise econômica, a média foi de mais de 8% de crescimento por ano. Hoje, o setor gera 15 mil empregos diretos e indiretos e ainda movimenta R$ 14 bilhões por ano.

Latas tipo sleek

Além disso, um dos formatos de latas que mais ascenderam na pandemia foram as latas tipo sleek, de 269 ml. Isso porque ela costuma passar uma imagem de premium e mais elegante.

Investimentos

De 2021 a 2023, os investimentos do setor no Brasil atingirão US$ 1 bilhão de dólares com 500 novos empregos gerados. Serão quatro novas fábricas somadas às expansões de linhas de produção que estão sendo expandidas nas unidades já existentes.

Líder de mercado

A líder de mercado no país, a empresa Ball, inaugura em 2022 a planta de Frutal (MG). Ela deve iniciar suas operações em modo soft opening ainda neste ano. A companhia irá reabrir em 2022 a fábrica de Benevides (PA). Portanto, duas novas operações para o ano que vem.

Já a empresa Crown deve inaugurar em Uberaba (MG) a 7ª fábrica no Brasil com capacidade nesta nova unidade de 2,4 bilhões de latinhas por ano. A empresa Ardagh anunciou mais uma nova planta ainda sem local confirmado.

Crescimento da indústria

A conclusão é de que o crescimento da indústria de latas de alumínio no país tem ver especialmente com a agenda verde. O Brasil possui uma fabricação de latas de responde hoje por ¼ de todo o alumínio comercializado e a taxa de reciclagem em 2020 foi de 97,4%.

Esse alto índice revela como o setor é organizado para o aproveitamento do que o alumínio que não é mais virgem.

Abralatas

A Abralatas foi fundada há 18 anos e representa a indústria de latas de alumínio para bebidas do Brasil. Hoje é o 3º maior mercado mundial, e é a principal embalagem para cerveja do território nacional.

Plástico

Para Cátilo Cândido, presidente executivo da associação, o valor mais baixo do plástico tem começado a perder para critérios de sustentabilidade.

Por fim, Cátilo diz que nos últimos anos, o surgimento de embalagens para água e vinho deve crescer daqui para frente.

“Temos uma cadeia totalmente integrada, que tem um ciclo completo. Além disso, o alumínio é o material ideal para impedir a entrada de luz, o que o vidro e o plástico não garantem.”

*Foto: Divulgação/Abralatas

Agenda verde pode significar uma ascensão ainda maior ao alumínio

Hoje, a queda do plástico se deve à agenda verde. Em suma, ela pode significar também uma ascensão ainda maior ao alumínio. Prova disso é que no primeiro semestre deste ano, o setor de fabricantes produtores registrou aumento de 22,6% em relação ao primeiro semestre de 2020. Ao comparar o feito ao mesmo período de 2019, o aumento foi de 18,3%.

Prova disso também é que as startups verdes na cidade de São Paulo também crescendo.

Agenda verde cresce

Apesar da pandemia, houve crescimento da agenda verde. Por conta disso, houve aumento em 22,6% o setor de latas de alumínio. Sendo assim, a expectativa da Abralatas é que setor encerre o ano com elevação de um dígito alto em relação a 2020.

Contudo, nos últimos cinco anos, apesar da pandemia e crise econômica, a média foi de mais de 8% de crescimento por ano. Hoje, o setor gera 15 mil empregos diretos e indiretos e ainda movimenta R$ 14 bilhões por ano.

Latas tipo sleek

Além disso, um dos formatos de latas que mais ascenderam na pandemia foram as latas tipo sleek, de 269 ml. Isso porque ela costuma passar uma imagem de premium e mais elegante.

Investimentos

De 2021 a 2023, os investimentos do setor no Brasil atingirão US$ 1 bilhão de dólares com 500 novos empregos gerados. Serão quatro novas fábricas somadas às expansões de linhas de produção que estão sendo expandidas nas unidades já existentes.

Líder de mercado

A líder de mercado no país, a empresa Ball, inaugura em 2022 a planta de Frutal (MG). Ela deve iniciar suas operações em modo soft opening ainda neste ano. A companhia irá reabrir em 2022 a fábrica de Benevides (PA). Portanto, duas novas operações para o ano que vem.

Já a empresa Crown deve inaugurar em Uberaba (MG) a 7ª fábrica no Brasil com capacidade nesta nova unidade de 2,4 bilhões de latinhas por ano. A empresa Ardagh anunciou mais uma nova planta ainda sem local confirmado.

Crescimento da indústria

A conclusão é de que o crescimento da indústria de latas de alumínio no país tem ver especialmente com a agenda verde. O Brasil possui uma fabricação de latas de responde hoje por ¼ de todo o alumínio comercializado e a taxa de reciclagem em 2020 foi de 97,4%.

Esse alto índice revela como o setor é organizado para o aproveitamento do que o alumínio que não é mais virgem.

Abralatas

A Abralatas foi fundada há 18 anos e representa a indústria de latas de alumínio para bebidas do Brasil. Hoje é o 3º maior mercado mundial, e é a principal embalagem para cerveja do território nacional.

Plástico

Para Cátilo Cândido, presidente executivo da associação, o valor mais baixo do plástico tem começado a perder para critérios de sustentabilidade.

Por fim, Cátilo diz que nos últimos anos, o surgimento de embalagens para água e vinho deve crescer daqui para frente.

“Temos uma cadeia totalmente integrada, que tem um ciclo completo. Além disso, o alumínio é o material ideal para impedir a entrada de luz, o que o vidro e o plástico não garantem.”

*Foto: Divulgação/Abralatas

Outras postagens

Postagens relacionadas

Últimas postagens

Deep techs: entenda conceito e como surgiu

Deep techs contam com investimentos que chegaram a R$ 88 bilhões (US$ 18 bi) em 2021, segundo números mapeados pela Liga Ventures As chamadas deep...

Como impedir 100% dos casos de covid: cientistas descobrem estratégia

Para impedir 100% dos casos de covid, um grupo de cientistas belgas trabalha em um medicamento que demonstrou ser promissor em testes de laboratório. Cientistas...

Investimentos em Web3: organizações de e-sports e games apostam em segmento

Investimentos em Web3 são apostas das produtoras LOUD, Los Grandes, Fluxo, MIBR e Xis Está cada vez mais comum o mercado e negócios de games...