Consumidores da Black Friday relatam seus maiores problemas nesta data

Consumidores da Black Friday

Consumidores da Black Friday revelam problemas de entrega após compras pela internet ou loja física

Na próxima sexta-feira (26), acontece a tradicional Black Friday. Nesta data, os consumidores poderão conferir se valeu a pena esperar pelas promoções de um dos dias mais movimentados do varejo.

Consumidores da Black Friday

Por outro lado, muitos consumidores da Black Friday já apelidaram a data de “Black Fraude”. Isso porque ocorrem muitas promoções falsas que acabam acometendo consumidores que não se atentaram a tempo.

Além disso, há o problema com os preços, entrega de compras feitas pela internet que também pode gerar dor de cabeça, com o descumprimento do prazo. Estas são as maiores reclamações dos consumidores.

Reclame Aqui

De acordo com a plataforma Reclame Aqui, apenas 2020 foi registrado 140 mil reclamações vinculadas à Black Friday. Portanto, um salto de 15,5%, afirma a empresa.

Já o problema mais citado pelos consumidores diz respeito à mercadoria não recebida, com 22% das reclamações. Em segunda posição aparece a propaganda enganosa, com 12,61% desse total. Por sua vez, O Procon-SP registrou mais de 1.200 chamados na Black Friday de 2020.

50% de desconto

De acordo com o órgão de defesa do consumidor, a principal reclamação foi justamente as promoções falsas. Isso acontece quando uma determinada empresa eleva o preço de um produto dias antes da Black Friday e depois reduz. Essa prática dá ao consumidor a impressão de um “desconto atrativo”.

Mas há uma boa notícia! É que o índice de solução dos problemas por parte das empresas cresceu aproximadamente 80% (77,2%) se comparado a 2019.

Como reclamar problemas na Black Friday?

Para os iniciantes, é preciso saber que a plataforma do Reclame Aqui é possível os compradores registrarem uma reclamação. Contudo, por mais segurança, o Procon-SP divulgou que estará de plantão para monitorar e orientar os consumidores entre quinta-feira (25) e sexta-feira (26), das 18h às 22h.

Dicas para evitar transtornos

Entre as dicas que evitam transtornos na hora da compra são: observar o prazo de entrega e ficar de olho na política de trocas; o valor do frete também vale ser observado com cautela. Neste último caso, se ele for alto demais, o preço final, mesmo com um possível desconto, pode não valer a pena.

Todavia, mantenha provas da compra realizada, por meio de fotos ou capturas de tela, que mostrem o nome da loja, data e horário de uma ocorrência. Esta prática pode servir de comprovação se houver alguma irregularidade.

Por fim, fique muito atento se tiver mudança no preço entre o momento que o produto está no carrinho até o pagamento para evitar surpresas.

Foto: Unsplash

Consumidores da Black Friday revelam problemas de entrega após compras pela internet ou loja física

Na próxima sexta-feira (26), acontece a tradicional Black Friday. Nesta data, os consumidores poderão conferir se valeu a pena esperar pelas promoções de um dos dias mais movimentados do varejo.

Consumidores da Black Friday

Por outro lado, muitos consumidores da Black Friday já apelidaram a data de “Black Fraude”. Isso porque ocorrem muitas promoções falsas que acabam acometendo consumidores que não se atentaram a tempo.

Além disso, há o problema com os preços, entrega de compras feitas pela internet que também pode gerar dor de cabeça, com o descumprimento do prazo. Estas são as maiores reclamações dos consumidores.

Reclame Aqui

De acordo com a plataforma Reclame Aqui, apenas 2020 foi registrado 140 mil reclamações vinculadas à Black Friday. Portanto, um salto de 15,5%, afirma a empresa.

Já o problema mais citado pelos consumidores diz respeito à mercadoria não recebida, com 22% das reclamações. Em segunda posição aparece a propaganda enganosa, com 12,61% desse total. Por sua vez, O Procon-SP registrou mais de 1.200 chamados na Black Friday de 2020.

50% de desconto

De acordo com o órgão de defesa do consumidor, a principal reclamação foi justamente as promoções falsas. Isso acontece quando uma determinada empresa eleva o preço de um produto dias antes da Black Friday e depois reduz. Essa prática dá ao consumidor a impressão de um “desconto atrativo”.

Mas há uma boa notícia! É que o índice de solução dos problemas por parte das empresas cresceu aproximadamente 80% (77,2%) se comparado a 2019.

Como reclamar problemas na Black Friday?

Para os iniciantes, é preciso saber que a plataforma do Reclame Aqui é possível os compradores registrarem uma reclamação. Contudo, por mais segurança, o Procon-SP divulgou que estará de plantão para monitorar e orientar os consumidores entre quinta-feira (25) e sexta-feira (26), das 18h às 22h.

Dicas para evitar transtornos

Entre as dicas que evitam transtornos na hora da compra são: observar o prazo de entrega e ficar de olho na política de trocas; o valor do frete também vale ser observado com cautela. Neste último caso, se ele for alto demais, o preço final, mesmo com um possível desconto, pode não valer a pena.

Todavia, mantenha provas da compra realizada, por meio de fotos ou capturas de tela, que mostrem o nome da loja, data e horário de uma ocorrência. Esta prática pode servir de comprovação se houver alguma irregularidade.

Por fim, fique muito atento se tiver mudança no preço entre o momento que o produto está no carrinho até o pagamento para evitar surpresas.

Foto: Unsplash

Outras postagens

Postagens relacionadas

Últimas postagens

Deep techs: entenda conceito e como surgiu

Deep techs contam com investimentos que chegaram a R$ 88 bilhões (US$ 18 bi) em 2021, segundo números mapeados pela Liga Ventures As chamadas deep...

Como impedir 100% dos casos de covid: cientistas descobrem estratégia

Para impedir 100% dos casos de covid, um grupo de cientistas belgas trabalha em um medicamento que demonstrou ser promissor em testes de laboratório. Cientistas...

Investimentos em Web3: organizações de e-sports e games apostam em segmento

Investimentos em Web3 são apostas das produtoras LOUD, Los Grandes, Fluxo, MIBR e Xis Está cada vez mais comum o mercado e negócios de games...