Mineração de lítio: BYD considera investir para baterias no Brasil

Mineração de lítio: BYD considera investir para baterias no Brasil

Mineração de lítio, segundo a vice-presidente global Stella Li, envolve a compra de ativos para apoiar a produção de carros elétricos

A BYD considera fazer investimentos em mineração de lítio no Brasil para apoiar a produção de baterias para carros elétricos. Depois da confirmação oficial e lançamento da pedra fundamental da fábrica de Camaçari (BA), a montadora chinesa quer ampliar seu fornecimento de matérias-primas.

Contudo, é preciso destacar que, segundo Ernesto Heinzelmann, empresário e importante nome da indústria brasileira, apesar da grande herança desse minério em países sul-americanos, ainda há uma frustração de não saber explorar o valor agregado do lítio.

Mineração de lítio no Brasil

Em entrevista para a Bloomberg Línea durante a inauguração de uma concessionária da marca em São Paulo (SP) na semana passada, Stella Li, vice-presidente global da BYD, falou sobre o assunto de mineração de lítio no Brasil:

“Preferimos comprar qualquer recurso disponível e acessível, mas precisa ser competitivo. Ao mesmo tempo, a BYD também prefere possuir alguma operação de mineração no Brasil.”

Fábrica de veículos

Ainda na semana passada, a BYD lançou a pedra fundamental de sua fábrica de veículos elétricos, híbridos e baterias em Camaçari, na Bahia, local que pertencia à Ford e havia sido devolvido ao governo da Bahia após uma longa negociação com a marca norte-americana.

Atualmente maior montadora de veículos eletrificados plug-in do mundo (carros elétricos a bateria e híbridos plug-in), a BYD oficializa o acordo para construção das três unidades da empresa, uma para produzir carros elétricos e híbridos, outra para caminhões e ônibus elétricos e uma terceira dedicada ao processamento de lítio e ferro-fosfato para baterias com foco nos mercados externos, ao menos num primeiro momento.

Plano da montadora

Além disso, o plano da montadora chinesa é utilizar os prédios deixados pela Ford, mas o layout será todo modificado e o tamanho das instalações ampliado – o investimento total previsto é de R$ 3 bilhões. Com capacidade para produzir 150.000 veículos na primeira fase, o complexo tem início de operação previsto para entre o final de 2024 e o começo de 2025.

Operações

Ainda sobre o lítio, a montadora chinesa está de olho nas operações de mineração no norte de Minas Gerais, no Vale do Jequitinhonha, que poderia servir de apoio para a fábrica na Bahia.

Já o destaque na região é a operação da Sigma Lithium, que possui um grande depósito de rocha de lítio, conhecido como Grota do Cirilo, que é sustentável e opera com um processo de mineração a seco, sem rejeitos e com reutilização da água captada (e tratada) do Rio Jequitinhonha.

Essa operação já chamou a atenção de outras empresas, como a Tesla, que chegou a cogitar a aquisição da Sigma Lithium Corp, mineradora canadense que é controlada por um fundo de investimento brasileiro.

Por fim, a instalação do complexo da BYD na Bahia irá alavancar outros negócios relacionados à produção de veículos e mobilidade elétrica no país. A previsão é que a fábrica comece a operar entre o final do ano que vem e início de 2025.

*Foto: Reprodução/br.freepik.com/fotos-gratis/vista-superior-em-baterias-recicladas_27595704

Outras postagens

Postagens relacionadas

Últimas postagens

Vitamina D rejuvenesce a pele: Entenda se é possível

Vitamina D rejuvenesce a pele, esta é uma pergunta que tem vindo muito à tona em se tratando do universo da beleza; mas o...

Amostras de Marte: NASA reduz gastos com missão

Na segunda-feira (15), a NASA informou como serão os próximos passos da campanha Mars Sample Return, iniciada em 2021. Agora, a campanha vai passar...

Conheça cultivar de uva própria para vinhos espumantes na Serra Gaúcha

Cultivar de uva própria resulta em uma boa produção A produção de vinhos é uma das atividades mais tradicionais na Região Sul do país. Entretanto,...