Unidades de conservação estadual: Tecnologia reforça monitoramento

Unidades de conservação estadual: Tecnologia reforça monitoramento

Unidades de conservação estadual envolvem 85% do território preservado

Atualmente, o estado do Acre está 85% preservado. Neste caso, a gestão prioriza o meio ambiente através de um termo de cooperação entre a Secretaria de Meio Ambiente e a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). O acordo estima mais de R$ 8 milhões na execução de estudos para geração e gestão do conhecimento em geoprocessamento, monitoramento ambiental e em unidades de conservação estaduais e fomento florestal.

Unidades de conservação estadual

As unidades de conservação estadual compreendem as ações de transferência de tecnologias, que envolvem o uso de drones e de seus produtos para monitoramento de gestão florestal, em ferramentas de gestão territorial e combinação de ciências naturais e sociais, além de ações de comunicação e educação ambiental. Todos esses fatores integram a formulação de políticas públicas para a atualização contínua do Zoneamento Ecológico-Econômico (ZEE) do estado.

Tecnologia e floresta

Vale dizer que o Acre sempre foi pioneiro em tecnologia aplicada na área florestal. E com este novo sistema da Embrapa, seus algoritmos irão ajudar no manejo florestal, além de detectar áreas de desmatamento e queimadas. O resulto disse é otimizar o tempo de trabalho de campo, além de reduzir risco ao se fazer um inventário manual.

Equipe bem treinada

Segundo o chefe da Embrapa no Acre, Bruno Pena, a ferramenta ajuda a equipe a, por exemplo, identificar 20 hectares por meio do GPS, exatamente no ponto em que a árvore está e reconhecer sua espécie.

O dispositivo pode ampliar de mil ou até dois mil hectares por dia, reduzindo também os custos de mão de obra. E não para por aí. Eles também trazem benefícios à iniciativa privada, como a indústria que atua com manejo florestal madeireiro, uma das principais atividades que impactam na balança comercial.

Modeflora

O Modeflora (Modelo Digital de Exploração Florestal), desenvolvido entre 2007 e 2008, visa reduzir o impacto ambiental do manejo florestal, sendo totalmente digital e capaz de mapear a paisagem e gerar informações que facilitam o planejamento, a execução e o monitoramento da atividade de manejo florestal.

Estoque de carbono

No futuro, os dados serão ainda mais precisos em relação ao estoque de carbono nas áreas do estado a partir de um escaneamento a laser (Light Detection And Ranging).  

Por fim, o chefe da Embrapa explica que a ferramenta pode obter uma imagem tridimensional bastante precisa da floresta. E em breve, será possível gerar um modelo de biomassa determinante na estimativa do quanto de carbono há nas florestas.

*Foto: Reprodução/https://br.freepik.com/fotos-gratis/homem-e-mulher-de-tiro-medio-na-floresta_29803296.htm#fromView=search&page=1&position=7&uuid=22d0c5ce-b08d-4e51-9bdd-c0963d5e1f03

Outras postagens

Postagens relacionadas

Últimas postagens

Murillo Vianna retorna à gestora Angra Partners

O executivo, que já operou em casos de reestruturação, chega para fortalecer a área de venture capital da empresa No último mês, segundo informações apuradas...

Vinícola urbana de Florença se destaca por sua liderança feminina

Vinícola urbana de Florença é a primeira neste segmento na região; conheça mais sobre o empreendimento da cidade italiana Uma das cidades mais importantes da...

Renato Conill comenta as principais categorias do automobilismo

O ex-piloto gaúcho comenta as divisões do esporte e sua variedade de experiências para pilotos e fãs Segundo o estatuto da Confederação Brasileira de Automobilismo...