Substituir funcionários por IA: Um quarto dos CEOs já planeja

Substituir funcionários por IA: Um quarto dos CEOs já planeja

Substituir funcionários por IA, segundo uma pesquisa da PwC, apresentada no Fórum Econômico Mundial, revela que 25% dos CEOs têm a intenção de demitir trabalhadores devido à inteligência artificial

A substituição de parte da força de trabalho humana pela inteligência artificial parece estar se tornando cada vez mais real. Prova disso é que durante o Fórum Econômico Mundial em Davos, foi apresentado um estudo realizado com CEOs de diversas empresas e setores que mostra que 25% deles planejam reduzir o quadro de funcionários devido à IA.

Substituir funcionários por IA

Sendo assim, substituir funcionários por IA pode ter certos impactos.

Já os detalhes da 27ª Pesquisa Anual Global com CEOs podem ser acessados no site oficial da PwC.

Para quem tem pressa:

  • Autoridades globais e o principal órgão financeiro mundial acreditam que a inteligência artificial deve causar desemprego em 2024.
  • Em consonância com essa visão, a 27ª Pesquisa Anual Global com CEOs da PwC revela as intenções das empresas.
  • Um quarto dos CEOs (25%) pretende cortar pelo menos 5% dos funcionários “devido à IA generativa”.
  • Cerca de 40% dos empregos globais correm risco devido à IA, alertou Kristalina Georgieva, chefe do Fundo Monetário Internacional, em uma publicação baseada na pesquisa.
  • Ela também escreveu: “Na maioria dos cenários, a IA provavelmente agravará a desigualdade geral”.

Tudo pela inovação

Ainda de acordo com a pesquisa da PwC, mais de 30% dos CEOs de mídia e entretenimento planejam demissões em resposta aos avanços da IA, antecipando-se a possíveis mudanças no mercado. O setor lidera as intenções de demissão, superando áreas como: seguros, bancos e telecomunicações.

No entanto, apesar dos alertas sobre os perigos da IA atualmente, que envolvem trabalhos incoerentes, plagiados e de qualidade duvidosa, os CEOs ainda enxergam vantagens disruptivas no modelo de linguagem, conforme relataram na pesquisa.

Bob Moritz, presidente global da PwC, explicou ao Financial Times que, à medida que os líderes empresariais ficam menos preocupados com questões macroeconômicas, concentram-se mais nas inovações que podem impulsionar seus negócios.

“Seja acelerando a implementação da IA generativa ou construindo seus negócios para enfrentar os desafios e oportunidades da transição climática, este é um ano de transformação”, declarou Bob Moritz ao Financial Times.

*Foto: Reprodução/br.freepik.com/fotos-gratis/robo-humanoide-trabalhando-com-uma-maquina-em-uma-fabrica-ai-generative_41369239

Outras postagens

Postagens relacionadas

Últimas postagens

5ª edição do Wine in Búzios vai até dia 9 de junho

Festival de vinhos ocorre na Praça Santos Dumont, no centro da cidade litorânea O tradicional festival de vinhos Wine in Búzios está em sua quinta...

Celeiro de startups: Brasília se torna berço da inovação no país

Celeiro de startups possui potencial para oferecer soluções tecnológicas transformadoras Recentemente, Brasília virou notícia por ser reconhecida como o berço da inovação no Brasil. Isso...

Inventário de imóvel: por onde começar?

A prática é obrigatória e pode ter consequências para quem descumprir esse processo O inventário existe para partilhar um imóvel deixado de herança, podendo ser...