Foguete impresso em 3D da Relativity é lançado para cortar custos

Foguete impresso em 3D

Foguete impresso em 3D, o Terran 1, foi programado para decolar de uma plataforma de lançamento da Base da Força Espacial dos EUA em Cabo Canaveral

Na última quarta-feira (8), um foguete impresso em 3D construído pela startup Relativity Space, com sede na Califórnia, decolou em sua primeira missão em órbita. Trata-se de um teste importante da nova estratégia da empresa para cortar custos de fabricação.

Foguete impresso em 3D da Relativity

O foguete impresso em 3D Terran 1 possui 35 metros de altura, e alega que é o maior objeto impresso em 3D do mundo a tentar um voo orbital. E 85% dele foi fabricado a partir de uma impressora 3D, incluindo os nove propulsores Aeon do primeiro estágio e o motor Aeon Vac do segundo. E foi  programado para decolar de uma plataforma de lançamento da Base da Força Espacial dos Estados Unidos em Cabo Canaveral, no Estado da Flórida, às 15h (horário de Brasília) do dia 8.

De acordo com Josh Brost, vice-presidente sênior de receita da Relativity, o lançamento ao espaço deste foguete é uma oportunidade de demonstrar um série de coisas de uma só vez.  

Ele disse ainda que o Terran 1 é “de longe a maior estrutura impressa em 3D que já foi montada”.

Sobre a startup Relativity

A Relativity, uma das poucas startups de foguetes dos Estados Unidos competindo para satisfazer a crescente demanda por serviços de lançamento baratos. Sendo assim, a empresa aposta na economia de custos que espera obter usando impressoras 3D robóticas gigantes para simplificar suas linhas de produção de foguetes.

Aceleração de processos

Além disso, segundo Brost, o uso de impressoras 3D permite que a Relativity acelere e muito seus processos de fabricação, e também de realizar alterações com mais assertividade a fim de melhorar o design do foguete. E, se for preciso, após ele voar, pode eliminar a necessidade de uma cadeia de suprimentos complexa que, de outro modo, retarda os aprimoramentos dos foguetes.

Enquanto o Terran 1 descartável é construído para transportar 1,25 toneladas de satélites para a órbita baixa da Terra, a demanda minguante por essa classe de veículo de lançamento levou a Relativity a desenvolver um foguete reutilizável impresso em 3D maior – o Terran R – que espera iniciar suas operações em 2024.

Anúncio em 2022

Vale lembrar que em 2022, a OneWeb anunciou que lançará seus satélites de próxima geração no Terran R da Relativity.

Atualmente, a startup possui em torno de US$ 1,65 bilhão em contratos de lançamento garantidos para seus dois foguetes, com a maior parte dessa receita atribuível ao maior Terran R.

*Foto: Reprodução/Unsplash (NASA)

Outras postagens

Postagens relacionadas

Últimas postagens

Murillo Vianna retorna à gestora Angra Partners

O executivo, que já operou em casos de reestruturação, chega para fortalecer a área de venture capital da empresa No último mês, segundo informações apuradas...

Vinícola urbana de Florença se destaca por sua liderança feminina

Vinícola urbana de Florença é a primeira neste segmento na região; conheça mais sobre o empreendimento da cidade italiana Uma das cidades mais importantes da...

Renato Conill comenta as principais categorias do automobilismo

O ex-piloto gaúcho comenta as divisões do esporte e sua variedade de experiências para pilotos e fãs Segundo o estatuto da Confederação Brasileira de Automobilismo...