BlackRock eleva participação na Via (VIIA3): entenda o caso

BlackRock eleva participação na Via (VIIA3)

BlackRock passou a deter 5,136% das ações da Via (VIIA3)

Na segunda-feira (24), em comunicado enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a Via (VIIA3) informou que a gestora BlackRock passou a deter 5,136% de suas ações ordinárias.

Controle da BlackRock

De acordo com o informe, a BlackRock agora possui um montante de 82.107.441 ações ordinárias da Via, e ainda destacou que o objetivo da participação acionária é estritamente de investimento, não tendo como fim alteração do controle ou da estrutura administrativa da companhia.

Por outro lado, não foram celebrados, pela gestora, quaisquer contratos ou acordos que regulem o exercício de direito de voto ou a compra e venda de valores mobiliários emitidos pela Via.

Vale lembrar que, atualmente, a comissão da Via é presidida por Renato Carvalho do Nascimento, sócio fundador da Laplace Finanças, empresa de assessoria financeira e gestão de fundos. Ele também faz parte do conselho de administração da Terra Santa (TESA3), e também foi sócio fundador do Grupo Angra Partners, hoje sob o comando do CEO Alberto Guth.

Via divulga detalhes de operação com créditos tributários de ICMS

No começo da semana passada, a Via atualizou o mercado sobre a efetivação do seu 4º Instrumento Particular de Transferência de Créditos Tributários de ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços).

Em comunicado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a Via (VIIA3) havia anunciado na semana anterior sobre a operação com os créditos tributários, da cifra de R$ 150 milhões.

Trata-se de um movimento de monetização da Via que já soma R$ 950 milhões em transações de venda de créditos fiscais. Em relação aos R$ 150 milhões de créditos tributários dizem respeito à cessão de Créditos Fiscais de ICMS Substituição Tributária (ICMS-ST) do Estado de São Paulo. O imposto é recolhido exclusivamente da empresa produtora, sem tributação dos demais agentes da cadeia.

Já o pagamento para a companhia será efetuado pela compradora apenas após a efetiva monetização do crédito. Além disso, estima-se que nos próximos 12 meses haverá um impacto no fluxo de caixa da varejista a partir dessa reestruturação.

Contudo, a Via (VIIA3) detalhou ainda que aproximadamente R$ 136 milhões correspondem ao líquido da transação, após a dedução de despesas.

Mudanças na Via (VIIA3): alto escalão e demissões

Por fim, a Via passou por trocas recentes em sua gestão no final de junho. Elcio Mitsuhiro foi aprovado como vice-presidente financeiro (CFO). O novo CFO da Via assumiu o cargo no dia 10 de julho de 2023, substituindo Orivaldo Padilha, que trabalhava desde 2019 na companhia. O executivo já foi CFO da BRF (BRFS3) e também atuou como diretor financeiro da Iochpe-Maxion (MYPK3).

*Foto: Reprodução/Flickr (Imprensa Via Varejo – flickr.com/photos/imprensaviavarejo/19779097255)

Outras postagens

Postagens relacionadas

Últimas postagens

Murillo Vianna retorna à gestora Angra Partners

O executivo, que já operou em casos de reestruturação, chega para fortalecer a área de venture capital da empresa No último mês, segundo informações apuradas...

Renato Conill comenta as principais categorias do automobilismo

O ex-piloto gaúcho comenta as divisões do esporte e sua variedade de experiências para pilotos e fãs Segundo o estatuto da Confederação Brasileira de Automobilismo...

Casa inteligente: como ter uma a partir de 5 produtos

Casa inteligente pode contar com itens como Alexa, lâmpada inteligente, e muito mais; confira a lista completa Atualmente, a tecnologia torna-se cada vez mais presente...