Anticoncepcional masculino ganha prêmio na Alemanha

Anticoncepcional masculino

Anticoncepcional masculino dá banho nos testículos para inibir a movimentação dos espermatozoides

Recentemente, um estudo da cientista alemã Rebeca Weiss levou o prêmio principal do James Dyson Awards, que incentiva novos inventores. A pesquisadora da Universidade de Munique, na Alemanha, criou um artefato baseado em ultrassom que promete revolucionar os métodos contraceptivos masculinos.

Anticoncepcional masculino – como foi a pesquisa

Por conta de já estar cansada de sofrer com os efeitos colaterais provocados pelos anticoncepcionais e também após ter enfrentado um câncer – que, bem provável, ocorreu pelo uso frequente de pílulas – ela desenvolveu um aparelho chamado COSO. Este dispositivo possibilita que os testículos sejam submersos periodicamente em um banho de ultrassom para inibir a movimentação dos espermatozoides. Ou seja, uma espécie de anticoncepcional masculino.

Ao portal de notícias UPI, a cientista disse que ela e seu parceiro estavam à procura de um método alternativo. Isso porque já sabiam da falta de anticoncepcionais masculinos.

Sensação de um banho morno

Ela explica que em poucos minutos de ação do experimento já há uma sensação de somente um “banho” morno. Além disso, o método é indolor. Mas ainda não há informações disponíveis sobre se existem efeitos colaterais adversos.

O método consiste em o usuário colocar água no dispositivo até a marca indicada, que é estipulada em conjunto com um médico conforme o tamanho do testículo individual.

Na sequência, o líquido é aquecido até a temperatura operacional. O COSO está pronto para o tratamento de ultrassom. Todo o processo leva apenas alguns minutos.

Anticoncepcional masculino possui intervalo de alguns meses

Vale lembrar que o dispositivo é utilizado com o intervalo de alguns meses (que não foram especificados na publicação). O procedimento é capaz de manter a interrupção na movimentação dos espermatozoides. Consequentemente, evitar que eles possam fertilizar óvulos.

Valor do prêmio

Já em relação ao prêmio, Weiss recebeu US$ 45 mil. Mas a parte mais importante disso tudo para ela foi o reconhecimento da entidade. Com isso, ela poderá buscar financiamento para passar para a próxima etapa de testes e tentar viabilizar o dispositivo para comercialização. 

*Foto: Divulgação

Anticoncepcional masculino dá banho nos testículos para inibir a movimentação dos espermatozoides

Recentemente, um estudo da cientista alemã Rebeca Weiss levou o prêmio principal do James Dyson Awards, que incentiva novos inventores. A pesquisadora da Universidade de Munique, na Alemanha, criou um artefato baseado em ultrassom que promete revolucionar os métodos contraceptivos masculinos.

Anticoncepcional masculino – como foi a pesquisa

Por conta de já estar cansada de sofrer com os efeitos colaterais provocados pelos anticoncepcionais e também após ter enfrentado um câncer – que, bem provável, ocorreu pelo uso frequente de pílulas – ela desenvolveu um aparelho chamado COSO. Este dispositivo possibilita que os testículos sejam submersos periodicamente em um banho de ultrassom para inibir a movimentação dos espermatozoides. Ou seja, uma espécie de anticoncepcional masculino.

Ao portal de notícias UPI, a cientista disse que ela e seu parceiro estavam à procura de um método alternativo. Isso porque já sabiam da falta de anticoncepcionais masculinos.

Sensação de um banho morno

Ela explica que em poucos minutos de ação do experimento já há uma sensação de somente um “banho” morno. Além disso, o método é indolor. Mas ainda não há informações disponíveis sobre se existem efeitos colaterais adversos.

O método consiste em o usuário colocar água no dispositivo até a marca indicada, que é estipulada em conjunto com um médico conforme o tamanho do testículo individual.

Na sequência, o líquido é aquecido até a temperatura operacional. O COSO está pronto para o tratamento de ultrassom. Todo o processo leva apenas alguns minutos.

Anticoncepcional masculino possui intervalo de alguns meses

Vale lembrar que o dispositivo é utilizado com o intervalo de alguns meses (que não foram especificados na publicação). O procedimento é capaz de manter a interrupção na movimentação dos espermatozoides. Consequentemente, evitar que eles possam fertilizar óvulos.

Valor do prêmio

Já em relação ao prêmio, Weiss recebeu US$ 45 mil. Mas a parte mais importante disso tudo para ela foi o reconhecimento da entidade. Com isso, ela poderá buscar financiamento para passar para a próxima etapa de testes e tentar viabilizar o dispositivo para comercialização. 

*Foto: Divulgação

Outras postagens

Postagens relacionadas

Últimas postagens

Deep techs: entenda conceito e como surgiu

Deep techs contam com investimentos que chegaram a R$ 88 bilhões (US$ 18 bi) em 2021, segundo números mapeados pela Liga Ventures As chamadas deep...

Como impedir 100% dos casos de covid: cientistas descobrem estratégia

Para impedir 100% dos casos de covid, um grupo de cientistas belgas trabalha em um medicamento que demonstrou ser promissor em testes de laboratório. Cientistas...

Investimentos em Web3: organizações de e-sports e games apostam em segmento

Investimentos em Web3 são apostas das produtoras LOUD, Los Grandes, Fluxo, MIBR e Xis Está cada vez mais comum o mercado e negócios de games...