Agricultura digital eleva aumento da produtividade

Agricultura digital

Agricultura digital pode transformar os sistemas agroalimentares

A agricultura digital veio para somar no meio agrícola. Isso porque ela pode contribuir para a transformação dos sistemas agroalimentares. Com isso, pode haver ainda um aumento da produtividade. Além disso, a iniciativa reduz o impacto ambiental e melhora a inserção dos produtores, principalmente jovens e mulheres.

Agricultura digital como alternativa

Todos esses efeitos positivos vêm da análise do diretor-geral do Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA), Manuel Otero.

Ele afirma que o “caminho incipiente e ainda desigual na chegada da agricultura digital na América Latina e no Caribe” e que oferece uma grande oportunidade e há muito o que avançar.

Otero explica ainda que a ideia é somar todas as coalizões e esforços colaborativos necessários.

“Aspiramos a uma melhor ruralidade, que deve passar por uma transformação e um empoderamento dos agricultores familiares. As condições estão dadas.”

Há certo ceticismo

Por outro lado, ainda há um ceticismo em torno da agricultura digital. É o que diz o professor da Universidade de Chicago, Michael Kremer, prêmio Nobel de Economia de 2019. Ele defende a necessidade de se propagar mais informações e comprovar as potencialidades da extensão rural digital sobre a produtividade e as receitas dos pequenos agricultores. Isso ocorre por meio de iniciativas de diversos países que integrem experiências, “contribuindo para que as novas tecnologias sejam um elemento transformador para o futuro”.

Programa Ater digital

Para César Halum, secretário do Mapa, o desafio agora é universalizar a assistência técnica e a extensão rural. Ele afirma que a solução é a agricultura digital. Ele ainda comentou o apoio da ministra Tereza Cristina e as ações que estão sendo conduzidas pelo programa Ater Digital. A proposta é levar tecnologia ao campo, principalmente às propriedades rurais dedicadas à agricultura familiar. Halum acrescenta que isso já está sendo feito no AgroNordeste, região onde há uma grande parte dos produtores e que tem dificuldade de renda e conectividade.

Infraestrutura tecnológica

Entre as ações previstas está a modernização da infraestrutura tecnológica, e também da capacitação de produtores, principalmente dos extensionistas, na intenção de serem multiplicadores. E ainda há os projetos de hub de inovação para levar conexão às propriedades da agricultura familiar.

Com o apoio do ministério mais o apoio da Ater Digital é possível cumprir os compromissos da Agenda 2030. Segundo o secretário, é importante utilizar a rede de instituições brasileiras, como a Embrapa, as universidades e as instituições de assistência técnica e extensão rural.

Papel da Embrapa na agricultura digital

De acordo com o VII Plano Diretor da Embrapa, a agricultura digital é um dos pilares estratégicos no ecossistema de inovação.

Além disso, o assunto está inserido no foco de atuação estipulado no Plano de Execução da Unidade (PEU). Ele é elaborado neste ano pela Embrapa Informática Agropecuária: pesquisa, desenvolvimento e inovação em agricultura digital visando à sustentabilidade, à competitividade e à agregação de valor nas cadeias produtivas.

Livro

Em novembro de 2020, foi lançado o livro “Agricultura Digital: pesquisa, desenvolvimento e inovação nas cadeias produtivas”. A obra apresenta iniciativas desenvolvidas pela unidade em parceria com outros centros de pesquisa da Embrapa e instituições parceiras dos setores público e privado.

A publicação foi lançada durante as comemorações dos 35 anos do centro de pesquisa especializado em tecnologia da informação aplicada à agricultura.

*Foto: Unsplash

Agricultura digital pode transformar os sistemas agroalimentares

A agricultura digital veio para somar no meio agrícola. Isso porque ela pode contribuir para a transformação dos sistemas agroalimentares. Com isso, pode haver ainda um aumento da produtividade. Além disso, a iniciativa reduz o impacto ambiental e melhora a inserção dos produtores, principalmente jovens e mulheres.

Agricultura digital como alternativa

Todos esses efeitos positivos vêm da análise do diretor-geral do Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA), Manuel Otero.

Ele afirma que o “caminho incipiente e ainda desigual na chegada da agricultura digital na América Latina e no Caribe” e que oferece uma grande oportunidade e há muito o que avançar.

Otero explica ainda que a ideia é somar todas as coalizões e esforços colaborativos necessários.

“Aspiramos a uma melhor ruralidade, que deve passar por uma transformação e um empoderamento dos agricultores familiares. As condições estão dadas.”

Há certo ceticismo

Por outro lado, ainda há um ceticismo em torno da agricultura digital. É o que diz o professor da Universidade de Chicago, Michael Kremer, prêmio Nobel de Economia de 2019. Ele defende a necessidade de se propagar mais informações e comprovar as potencialidades da extensão rural digital sobre a produtividade e as receitas dos pequenos agricultores. Isso ocorre por meio de iniciativas de diversos países que integrem experiências, “contribuindo para que as novas tecnologias sejam um elemento transformador para o futuro”.

Programa Ater digital

Para César Halum, secretário do Mapa, o desafio agora é universalizar a assistência técnica e a extensão rural. Ele afirma que a solução é a agricultura digital. Ele ainda comentou o apoio da ministra Tereza Cristina e as ações que estão sendo conduzidas pelo programa Ater Digital. A proposta é levar tecnologia ao campo, principalmente às propriedades rurais dedicadas à agricultura familiar. Halum acrescenta que isso já está sendo feito no AgroNordeste, região onde há uma grande parte dos produtores e que tem dificuldade de renda e conectividade.

Infraestrutura tecnológica

Entre as ações previstas está a modernização da infraestrutura tecnológica, e também da capacitação de produtores, principalmente dos extensionistas, na intenção de serem multiplicadores. E ainda há os projetos de hub de inovação para levar conexão às propriedades da agricultura familiar.

Com o apoio do ministério mais o apoio da Ater Digital é possível cumprir os compromissos da Agenda 2030. Segundo o secretário, é importante utilizar a rede de instituições brasileiras, como a Embrapa, as universidades e as instituições de assistência técnica e extensão rural.

Papel da Embrapa na agricultura digital

De acordo com o VII Plano Diretor da Embrapa, a agricultura digital é um dos pilares estratégicos no ecossistema de inovação.

Além disso, o assunto está inserido no foco de atuação estipulado no Plano de Execução da Unidade (PEU). Ele é elaborado neste ano pela Embrapa Informática Agropecuária: pesquisa, desenvolvimento e inovação em agricultura digital visando à sustentabilidade, à competitividade e à agregação de valor nas cadeias produtivas.

Livro

Em novembro de 2020, foi lançado o livro “Agricultura Digital: pesquisa, desenvolvimento e inovação nas cadeias produtivas”. A obra apresenta iniciativas desenvolvidas pela unidade em parceria com outros centros de pesquisa da Embrapa e instituições parceiras dos setores público e privado.

A publicação foi lançada durante as comemorações dos 35 anos do centro de pesquisa especializado em tecnologia da informação aplicada à agricultura.

*Foto: Unsplash

Outras postagens

Postagens relacionadas

Últimas postagens

Deep techs: entenda conceito e como surgiu

Deep techs contam com investimentos que chegaram a R$ 88 bilhões (US$ 18 bi) em 2021, segundo números mapeados pela Liga Ventures As chamadas deep...

Como impedir 100% dos casos de covid: cientistas descobrem estratégia

Para impedir 100% dos casos de covid, um grupo de cientistas belgas trabalha em um medicamento que demonstrou ser promissor em testes de laboratório. Cientistas...

Investimentos em Web3: organizações de e-sports e games apostam em segmento

Investimentos em Web3 são apostas das produtoras LOUD, Los Grandes, Fluxo, MIBR e Xis Está cada vez mais comum o mercado e negócios de games...