Tecnologia para governo crescerá seis vezes em cinco anos

Tecnologia para governo crescerá seis vezes em cinco anos

Tecnologia para governo prevê estudo sobre o ecossistema de empresas brasileiras focadas neste setor público

O hub de inovação GovTech do Brasil e da América Latina, o BrazilLAB, acaba de lançar o Mapa GovTech. Trata-se de um estudo sobre o ecossistema de empresas brasileiras focadas em tecnologias para o setor público, as chamadas govtechs. A pesquisa conta com o apoio da Oracle, companhia de tecnologia em nuvem que fornece às organizações infraestrutura de computação e software.

Tecnologia para governo

Segundo o estudo, mais de 470 startups e PMEs oferecem atualmente tecnologia para governo, a partir de soluções para desafios públicos. Além disso, ao longo dos últimos 4 anos prestando serviços, colaborando de algum modo ou manifestado interesse em colaborar com entes públicos no Brasil. O número é quase seis vezes maior do que o número de empresas mapeadas em 2019 no estudo pioneiro feito sobre o tema no Brasil.

Regiões brasileiras

Por sua vez, o Sudeste é a região com maior número de govtechs (51,99%), seguida das regiões Sul (22,22%) e Centro-Oeste (13,83%). Dentre as mais de 470 companhias mapeadas, 30 foram classificadas na lista de startups e PMEs de destaque, e 55 foram incluídas na lista para ficar alerta, a partir de critérios como número de contratos com o Poder Público e quantidade de investimentos captados.

Mapa GovTech

Todavia, o Mapa GovTech identificou mais de 330 iniciativas de inovação do poder público no Brasil, como laboratórios de inovação e programas de inovação aberta, listando todas essas iniciativas e apresentando 30 delas de forma mais detalhada no estudo. A maioria das iniciativas está vinculada ao Poder Executivo (55,92%), em seguida ao Judiciário (33,43%) e, por último, ao Legislativo (3,85%).

Ecossistema GovTech

Tais resultados revelaram o crescimento e amadurecimento do ecossistema GovTech brasileiro nos últimos anos. O Mapa GovTech apresenta ainda as principais mudanças recentes na legislação brasileira que impactaram o setor. Neste caso, o destaque vai para a adoção do novo tripé regulatório GovTech (Marco Legal de Startups e Empreendedorismo Inovador, Lei de Governo Digital e Nova Lei de Licitações), além de informações sobre o fluxo de investimentos nesse ecossistema, indicando ainda oportunidades, desafios e tendências no setor para os próximos anos.

Como foi feito o mapeamento

Por fim, ao utilizar os dados primários e secundários, o mapeamento foi realizado ao longo de 2022 e 2023, através de uma chamada aberta divulgada amplamente pelo BrazilLAB e pela Oracle, bem como por organizações parceiras de todas as regiões do Brasil.

*Foto: Reprodução/https://br.freepik.com/fotos-gratis/conceito-de-controle-de-qualidade-padrao-m_36027711.htm#fromView=search&page=1&position=5&uuid=405b7923-e506-4fc7-bf7b-2c3f492500b4

Outras postagens

Postagens relacionadas

Últimas postagens

Murillo Vianna retorna à gestora Angra Partners

O executivo, que já operou em casos de reestruturação, chega para fortalecer a área de venture capital da empresa No último mês, segundo informações apuradas...

Vinícola urbana de Florença se destaca por sua liderança feminina

Vinícola urbana de Florença é a primeira neste segmento na região; conheça mais sobre o empreendimento da cidade italiana Uma das cidades mais importantes da...

Renato Conill comenta as principais categorias do automobilismo

O ex-piloto gaúcho comenta as divisões do esporte e sua variedade de experiências para pilotos e fãs Segundo o estatuto da Confederação Brasileira de Automobilismo...