OVNIs derrubados nos EUA e Canadá: O que já se sabe?

OVNIs derrubados nos EUA e Canadá

OVNIs derrubados nos EUA e Canadá não se pode afirmar que trata-se de origem extraterrestre

No início desta semana, o mundo ficou intrigado por conta de OVNIs derrubados nos EUA e Canadá. Entretanto, não há evidências de que os objetos voadores não identificados (ou apenas “OVNIs”), descobertos nos espaço aéreo destes países e derrubados recentemente por caças norte-americanos, tenham origem extraterrestre. É o que afirmou Karine Jean-Pierre, secretária de imprensa da Casa Branca, durante uma conferência realizada na última segunda-feira (13).

OVNIs derrubados nos EUA e Canadá

Isso porque Karine se referiu aos OVNIs derrubados nos EUA e Canadá, como sendo objetos derrubados no Alasca, no Canadá e na região do lago Huron, nos Estados Unidos, ao longo do fim de semana dos dias 11 e 12 de fevereiro:

“De novo, não há indicações de alienígenas ou outras atividades extraterrestres com estas derrubadas recentes.”

Observação dos militares antes dos disparos

Além disso, de acordo com John Kirby, coordenador de comunicação estratégia no Conselho de Segurança Nacional, os militares observaram todos os objetos antes dos disparos de mísseis que os derrubaram. Em seguida, eles determinaram que não havia tripulação em seu interior e também não pareciam estar enviando sinais de comunicação.

“Tentamos verificar se eles estavam realizando manobras ou se tinham algum recurso de propulsão, mas não vimos sinais disso.”

Kirby afirmou ainda que as equipes de recuperação estão em busca dos detritos dos objetos, que podem revelar de onde vieram e quais eram seus objetivos.

Memorando do Pentágono

Por outro lado, segundo um memorando do Pentágono, sede do Departamento de Defesa dos Estados Unidos, o objeto derrubado no espaço aéreo canadense parecia ser um balão pequeno e metálico, com uma carga útil sustentada por um cabo. Já o objeto derrubado sobre o lago Huron, no estado de Michigan, caiu na água logo após o impacto. No entanto, os oficiais não vão caracterizá-los de forma definitiva até finalizarem a recuperação dos detritos.

Isso porque ao que tudo indica, os três objetos eram bastante diferentes do balão da China, derrubado no início do mês. Além de serem menores que o balão, eles estavam voando a altitudes mais baixas e potencialmente perigosas para aeronaves comerciais, sendo este um dos motivos que levou os militares norte-americanos a derrubá-los. No caso, estavam voando a altitude de 6,1 mil metros. Por isso, poderia haver interferência no tráfego aéreo comercial.

Por fim, vale recordar que o artefato foi detectado pela primeira vez no Estado americano de Montana no sábado (11), acrescentou o órgão.

*Foto: Reprodução/Unsplash (James Orr)

Outras postagens

Postagens relacionadas

Últimas postagens

Murillo Vianna retorna à gestora Angra Partners

O executivo, que já operou em casos de reestruturação, chega para fortalecer a área de venture capital da empresa No último mês, segundo informações apuradas...

Vinícola urbana de Florença se destaca por sua liderança feminina

Vinícola urbana de Florença é a primeira neste segmento na região; conheça mais sobre o empreendimento da cidade italiana Uma das cidades mais importantes da...

Renato Conill comenta as principais categorias do automobilismo

O ex-piloto gaúcho comenta as divisões do esporte e sua variedade de experiências para pilotos e fãs Segundo o estatuto da Confederação Brasileira de Automobilismo...