Empreender no ramo da hotelaria: Especialista dá dicas

Empreender no ramo da hotelaria

Empreender no ramo da hotelaria pode receber a ajuda da tecnologia para expandir o negócio

Abrir um negócio, seja qual for a área, não costuma ser tarefa fácil e requer bastante planejamento para que funcione no longo prazo. Além disso, em paralelo, é preciso realizar um estudo prévio sobre o empreendimento que se deseja administrar, contando também com um investimento para tornar os planos uma realidade. E é uma dessas áreas que vem aparecendo no radar do Brasil é o de hotelaria. Neste artigo, você conhecerá dicas de como empreender neste ramo de atividade.

Como empreender no ramo da hotelaria

Vale destacar que o empreendedorismo cresce cada vez mais no Brasil. É o que revela a pesquisa Global Entrepreneurship Monitor, divulgada no segundo semestre de 2022. Na ocasião, o país apareceu em sétimo lugar entre os países com mais empreendedores.

Com a retomada do turismo no país, o quesito empreender no ramo da hotelaria ganhou mais força e pode ser uma alternativa para aqueles que querem administrar o próprio negócio. Além disso, com o avanço do ESG no Brasil e após uma pandemia, o país percebeu que não podia ser mais como antes, assim como no restante do mundo. Pensando nisso, a CEO do grupo Santa Clara Resort, Taiza Krueder, foca suas operações e iniciativas pessoais na cultura ESG. Ou seja, ela preza por práticas que valorizam a preservação do meio ambiente, consumo consciente de recursos e de responsabilidade social como diferencial de seus dois empreendimentos hoteleiros.

Particularidades requerem cautela

Por outro lado, segundo Thiago Santin, CEO da Bitz Softwares, empresa desenvolvedora de sistemas para gestão do setor de hospitalidade, além de todos os requisitos inerentes a abertura de um novo negócio, o ramo da hotelaria tem suas particularidades que devem ser avaliadas com cuidado por quem decide investir neste nicho. Entre as quais, está entender sobre o local desejado para montar o hotel, se existe viabilidade e também demanda, além de definir se será um empreendimento voltado ao turismo ou ao executivo.

Santin diz ainda que fatores como localização e tamanho do empreendimento podem ditar o sucesso de um hotel.

“Se você fizer um empreendimento muito grande em um lugar onde não tem demanda, só vai gerar custo, sem lucros. Afinal, a média de tempo de retorno financeiro para um empreendimento hoteleiro é de 36 meses, mas tudo depende do tamanho do investimento realizado.”

Planejamento financeiro

Já em relação ao planejamento financeiro, Santin explica que o empreendedor deve se preparar de forma adequada para os períodos de baixa temporada, que às vezes podem ser maiores do que o esperado. Contudo, se for um hotel de turismo, é preciso também fazer um fluxo de caixa, onde vai existir uma época do ano voltada à realização de manutenções e reformas. O ideal é que o hoteleiro programe o ano “com meses a menos e custos a mais”.

Tecnologia

Contudo, somado a tudo isso aparecem os recursos reservados ao setor de tecnologia. Santin explica aqui que deve haver um valor mínimo, sendo um investimento feito de forma constante:

“Hoje, um hotel não funciona sem internet, trata-se de um fator indispensável para a maioria dos hóspedes. Além de toda comodidade gerada para os clientes e gestores, contar com bons serviços tecnológicos possibilita check-in e check-out online, acesso a apps próprios e diversos outros serviços. Os recursos tecnológicos são aliados para desenvolver e modernizar o hotel.”

Desse modo, as pessoas que querem investir no ramo da hotelaria precisam estar cada vez mais atentas ao mercado hoteleiro e suas constantes transformações, buscando aprender sobre as tendências que surgem a cada ano. Por outro lado, para ser visto como um empreendedor completo, também é preciso adquirir o mínimo de conhecimento no setor financeiro, tecnológico, gestão de compras, manutenção e governança.

Local com demanda

Por fim, para abrir um hotel e ter sucesso, é necessário encontrar um local com demanda e saber administrar as questões relacionadas ao empreendimento, afirma Santin.

“O setor do turismo está em constante evolução, o que permite entregar um hotel de qualidade, com preço acessível e bom atendimento para os hóspedes. Esses fatores atrelados geram uma ótima experiência e fazem com que as pessoas voltem a se hospedar, o que por sua vez, promoverá o crescimento do negócio.”

*Foto: Reprodução/Unsplash (runnyrem)

Outras postagens

Postagens relacionadas

Últimas postagens

Murillo Vianna retorna à gestora Angra Partners

O executivo, que já operou em casos de reestruturação, chega para fortalecer a área de venture capital da empresa No último mês, segundo informações apuradas...

Vinícola urbana de Florença se destaca por sua liderança feminina

Vinícola urbana de Florença é a primeira neste segmento na região; conheça mais sobre o empreendimento da cidade italiana Uma das cidades mais importantes da...

Renato Conill comenta as principais categorias do automobilismo

O ex-piloto gaúcho comenta as divisões do esporte e sua variedade de experiências para pilotos e fãs Segundo o estatuto da Confederação Brasileira de Automobilismo...