Conheça cultivar de uva própria para vinhos espumantes na Serra Gaúcha

Conheça cultivar de uva própria para vinhos espumantes na Serra Gaúcha

Cultivar de uva própria resulta em uma boa produção

A produção de vinhos é uma das atividades mais tradicionais na Região Sul do país. Entretanto, a fabricação de bons vinhos depende, e muito, da qualidade da uva utilizada como matéria-prima. Sobre isso, o ministro da Agricultura e do Abastecimento, Marcus Vinícius Pratini de Moraes, estará lançando durante a Expointer 2001, em Esteio (RS), a BRS Lorena, cultivar desenvolvida pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e adaptada à região da Serra Gaúcha, sendo uma alternativa a elaboração de vinhos espumantes.

Cultivar de uva própria

A BRS Lorena, desenvolvida pela Embrapa Uva e Vinho (Bento Gonçalves-RS) é uma cultivar de médio vigor e alta fertilidade. Geralmente apresenta dois cachos por broto, tem hábito de crescimento ereto e brotação relativamente precoce. Outra vantagem da nova cultivar de uva própria é a boa resistência em relação às doenças fúngicas. Na Serra Gaúcha, por exemplo, apresenta baixa incidência de antracnose.

Além disso, a nova cultivar foi obtida a partir do cruzamento entre Malvasia Bianca e Seyval, realizado em 1986. Entre 1991 e 1995, foi avaliada, demonstrando, no período, grande potencial produtivo, sanidade e qualidade. Em 1994, a BRS Lorena foi propagada para avaliação semi-comercial em cooperativas da região de Bento Gonçalves (RS). E diante dos resultados obtidos na primeira vinificação, foram implantadas parcelas para validação em três propriedades de viticultores da Serra Gaúcha.

Para o sommelier Luciano Mestrich, os vinhos brasileiros, o que também contempla a região Sul, conta com uvas bastante selecionadas. E isso faz do Brasil um país cada vez mais premiado pelos seus rótulos de vinhos.

Características enológicas

Prova disso é que o vinho branco de mesa elaborado com a BRS Lorena, vinificada pelo sistema clássico de elaboração em branco, produz vinhos com Ph em torno de 3,4, cor amarelo-palha, com reflexos esverdeados. O vinho pode ser consumido até 24 meses após o seu engarrafamento, com qualidade máxima entre o quarto e o 16º mês. Por sua vez, o vinho espumante elaborado pelo processo Asti apresenta cor amarelo-palha, espuma resistente e espessa. Suas qualidades são conservadas até 18 meses após o engarrafamento, mas com período de máxima expressão compreendido entre o quarto e o décimo mês.

*Foto: Reprodução/https://br.freepik.com/fotos-gratis/mulher-usando-o-tablet-de-pesquisa-e-estudando-o-desenvolvimento_13807821.htm#fromView=search&page=1&position=9&uuid=2e193d72-09a5-401a-8ecb-4512391f7fe6

Outras postagens

Postagens relacionadas

Últimas postagens

Murillo Vianna retorna à gestora Angra Partners

O executivo, que já operou em casos de reestruturação, chega para fortalecer a área de venture capital da empresa No último mês, segundo informações apuradas...

Vinícola urbana de Florença se destaca por sua liderança feminina

Vinícola urbana de Florença é a primeira neste segmento na região; conheça mais sobre o empreendimento da cidade italiana Uma das cidades mais importantes da...

Renato Conill comenta as principais categorias do automobilismo

O ex-piloto gaúcho comenta as divisões do esporte e sua variedade de experiências para pilotos e fãs Segundo o estatuto da Confederação Brasileira de Automobilismo...