Pequenas ondas magnéticas são descobertas em volta do núcleo da Terra

Pequenas ondas magnéticas

Pequenas ondas magnéticas encontradas podem ajudar a explicar o que está ocorrendo nas profundezas de nosso planeta

Recentemente, geólogos descobriram pequenas ondas magnéticas espalhando-se no núcleo da Terra. Eles acreditam que elas podem ajudar a explicar o que está ocorrendo nas profundezas de nosso planeta e de nosso meio ambiente.

Pequenas ondas magnéticas

Nicolas Gillet e seus colegas da Universidade Grenoble Alpes, na França, observaram o campo geomagnético da Terra entre 1999 e 2021 utilizando dados de satélites e de observatórios no solo.

Além disso, a equipe descobriu também que o campo magnético ao redor da região equatorial do núcleo flutua regularmente. Tais flutuações se repetem a cada sete anos, deslocando-se para o oeste ao redor do equador a velocidades de cerca de 1.500 quilômetros por ano.

Sobre isso, Gillet complementou:

“O que é importante saber é que o campo magnético no núcleo evolui em escalas de tempo muito longas. E o que testemunhamos são apenas pequenas oscilações em cima disso.”

Melhor compreensão do funcionamento interno da Terra

Todavia, apesar dessas ondas serem pequenas, estudá-las pode ajudar a melhorar nossa compreensão do funcionamento interno da Terra.

Em suma, já existe um debate sobre uma hipotética camada fina de rocha entre o núcleo externo e o manto acima dele. E isso poderia explicar as mudanças no campo magnético geral da Terra. Entretanto, garante Gillet, a descoberta dessas novas ondas sugere que não há necessidade dessa camada para explicar os dados.

A equipe acredita ainda que é possível visualizar o campo geomagnético nas profundezas do núcleo. Para isso, usaram as ondas recém-descobertas, assim como prever a evolução futura do campo.

Novas teorias geológicas

Hoje, a teoria aceita determina que o núcleo da Terra é formado por uma camada interna sólida e uma camada externa de metal líquido. Porém, a diferença de temperatura entre o centro quente e a camada externa mais fria conduz as correntes de convecção no líquido. E o movimento das partículas carregadas no metal cria o campo magnético do planeta.

Por outro lado, até bem pouco tempo atrás se acreditava que aquela convecção fosse a responsável movimento das placas tectônicas.

Todavia, novos dados indicam hoje a possibilidade de que o movimento das placas tectônicas e a deriva dos continentes sejam impulsionadas pela gravidade. Enquanto isso, outra teoria defende que o motor das placas tectônicas pode estar no espaço, com a gravidade mexendo com a massa sólida do planeta, assim como mexe com a parte líquida, provocando as marés.

*Foto: Divulgação

Outras postagens

Postagens relacionadas

Últimas postagens

Inovação no meio ambiente ocorre graças à investimento na ciência

Inovação no meio ambiente ocorre ainda por meio de parcerias estratégicas em conformidade ao Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 17 O mês de junho sempre é...

IA nos tribunais: Justiça aumenta o uso

IA nos tribunais aumenta segundo informações do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) Recentemente, o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) concluiu que houve aumento no número...

Organização Social Pró-Saúde completa 55 anos

Organização Social Pró-Saúde é especialista em fornecer inteligência de gestão, com mais de 145 unidades saúde, nas cinco regiões do Brasil No dia 9 de...