Pavimentação com plástico descartado: tecnologia aplica em rodovias

Pavimentação com plástico descartado

Pavimentação com plástico descartado é uma iniciativa da Concessionária Eixo SP, com aplicação e corredor viário no interior de São Paulo

Uma nova iniciativa tecnológica que visa o combate à poluição do meio ambiente será colocada em prática no Brasil, mais especificamente no interior de São Paulo. A solução começou a ser adotada na última quinta-feira (28), pela concessionária Eixo SP, responsável pela administração de 1,2 mil quilômetros de rodovias do Lote PiPa.

Pavimentação com plástico descartado

Sendo assim, a pavimentação com plástico descartado ocorre por meio de embalagens plásticas de alimentos. Agora, de acordo com a empresa, o material será usado na camada asfáltica de pavimento da Rodovia Washington Luís (SP-310), na região Central do Estado.

Aplicação deste tipo de pavimento compreenderá o segmento de trecho da pista em Rio Claro (SP), do km 170 ao 171, pista sentido São Carlos (SP).

Como funciona a pavimentação com plástico descartado

O método sustentável é originário da Holanda pela concessionária. Entretanto, tal tecnologia recebeu adaptações para as condições climáticas, ambientais e de carga dos veículos do Brasil.

Segundo Assis Villela, gerente de Pavimentação da Eixo SP e um dos idealizadores da pesquisa:

“Para se ter ideia da dimensão do impacto positivo ao meio ambiente, somente neste um quilômetro de teste, serão utilizadas aproximadamente 200 mil embalagens plásticas. Se esta tecnologia fosse utilizada em todas as rodovias asfaltadas do Brasil, mais de 80 bilhões embalagens plásticas de alimentos poderiam ser eliminadas do meio ambiente.”

Etapas de produção do asfalto com plástico

Conforme informações da Eixo SP, nas cooperativas de reciclagem de lixo parceiras do projeto, o plástico passa por uma seleção. Para o resultado final, foram estudados diversos tipos de plástico que ofereceram resultados satisfatórios na composição do pavimento durante testes em laboratório feitos por mais de um ano.

A concessionária disse ainda que essas embalagens plásticas de alimentos são moídas e passam por um tanque de lavagem para eliminar qualquer contaminação. Em seguida, são aglutinadas até serem transformadas em uma massa plástica, que toma formato de pequenos grãos de plástico do tamanho de uma ervilha.

Na usina de asfalto, esses grãos de plásticos são misturados com pedras dentro de um grande tambor aquecido a altas temperaturas, até atingirem a consistência ideal.

Apenas depois de todas essas etapas e com todos os controles e testes laboratoriais realizados, o Asfalto com Plástico está pronto para ir à obra e ser executado na rodovia.

Logística Reversa

Por outro lado, o projeto Asfalto com Plástico será feito e submetido a novos testes de laboratório e em pista nos próximos dias. Os parâmetros encontrados nos testes indicarão sua qualidade em relação ao pavimento executado com o asfalto comum, acrescenta Assis.

“A Eixo SP busca alternativas sustentáveis em sua operação e esta alternativa é um ganho para o meio ambiente e a geração de emprego e renda, por meio da demanda aquecida do plástico que passa a ser adquirido das cooperativas parceiras.”

Assis explica também que a ampliação do uso da tecnologia em outras três frentes regionais de trabalho vai estimular o uso do material reciclável de outras cooperativas especializadas na coleta seletiva dos municípios, contribuindo com a geração de trabalho e renda por meio da logística reversa.

Sustentabilidade

Além disso, a concessionária Eixo SP é uma empresa que vem adotando os conceitos da Governança Ambiental, Social e Corporativa (ESG). Entre as políticas definidas na gestão da maior extensão rodoviária sob concessão do país, estão projetos de uso de energia limpa. É o que confirma o diretor-presidente da Eixo SP, Sergio Santillan:

“A economia verde já é uma realidade nas operações da Eixo SP, que em dois anos de atividade já insere mais uma inovação, desta vez, nas obras de pavimento. Ao mesmo tempo, a Concessionária utiliza veículos elétricos nas operações de balança móvel e suas instalações são alimentadas por energia fotovoltaica.  A empresa caminha com responsabilidade ambiental e tecnologia, conceitos para que a Concessão seja autossustentável e cause impacto mínimo ao meio ambiente.”

Sobre a Eixo SP

A Eixo SP Concessionária de Rodovias administra mais de 1.221 km de estradas que passam por 62 municípios da região de Rio Claro, no centro do Estado, até Panorama, no extremo oeste, na divisa com o Mato Grosso do Sul. O maior contrato sob supervisão da Artesp (Agência Reguladora de Transportes do Estado de São Paulo) terá investimentos de R$ 14 bilhões em obras de ampliação, conservação, e de modernização de serviços ao usuário.

*Foto: Reprodução/Eixo SP

Outras postagens

Postagens relacionadas

Últimas postagens

ANS participa de iniciativa sobre IA

ANS participa de projeto que desenvolverá soluções digitais para melhoria da qualidade e do custo de serviços públicos A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS)...

Healthtech Laura e a transformação digital

Healthtech Laura se alinha a era da transformação, trazendo benefícios para a sociedade e comunidade médica, ao fornecer insumos valiosos para tomada de decisão...

Helicópteros espaciais em Marte: Nasa comenta o envio

Helicópteros espaciais em Marte, segundo afirmação da Agência Espacial Norte Americana, aeronaves são inspiradas no modelo Ingenuity e serão enviadas para a superfície do...